Autor Posts

13 de dezembro de 2016 às 10:34

Bom dia pessoal,

Faço parte desse fórum a pouco tempo e gostaria de falar um pouco da minha historia, e vou ser bastante direto e objetivo para que nao se torne cansativa a leitura.

Meu nome é Leandro tenho 26 anos, sou de Petrolina-Pe, e tenho problemas em concentração, motivação, tenho sérios ataques de ansiedade por conta da minha motivação, pois me faz pensar constantemente que tipo de pessoa serei no futuro, não consigo manter minha atenção, péssimo em focar na leitura (com muitos pensamentos durante a leitura) e memorização, faço faculdade desde 2009, no curso de Ciências contábeis, fiquei com a faculdade trancada por um tempo por desmotivação, e voltei agora em 2016 a fazer o curso, porem comecei do zero, do primeiro período. Pouco tempo atras me submeti a testes psicológicos por indicação de uma prima que faz o curso de psicologia, nesses testes foi concluído que tenho sintomas que normalmente são de pessoas com TDAH, isso me fez bem, pois eu teria achado uma solução para um problema que eu nem sabia q tinha, mas ao mesmo tempo me fez mal pq hoje com 26 anos me fez notar que durante toda a minha vida eu poderia ter sido tratado mas nao sabia. Pois bem, procurei um neurologista após encaminhamento da psicologa, e saí de lá agora (13/12/2016) e foi um banho de água fria, pois toda a minha esperança de uma vida melhor poderia ter sido perdida, só não perdi, pq quando eu fiquei sabendo do TDAH eu pesquisei muito sobre o assunto, e nessa consulta com o neurologista ele me falou coisas que desmerecia totalmente o profissional psicologo, que o encaminhamento que a psicologa deu não tem nada haver com área dele, disse que eu fiz esses testes em vão, pq eu não tenho TDAH, que se tivesse eu não estava nem prestando atenção nele, disse q pelo fato de fazer faculdade eu estou acima de 90% da população, falou que o psicologo não teve capacidade nem de dar o diagnostico, pq esse tipo de transtorno é papel do psicologo dar o diagnostico, porém nao poderia prescrever um remédio, disse que esse transtorno eu estaria totalmente inquieto, pulando pra cima e pra baixo como se fosse um macaco ( ele falou nesses termos), enfim, como disse um banho de água fria. Preciso de ajuda, pois aqui na cidade, até onde sei, não tem profissional especialista nesse transtorno.

Desde já agradeço.

 

3 de janeiro de 2017 às 13:31

Bom dia, Leandro.

Sei muito bem o que você está passando! Quando mudei de cidade e fui procurar um médico para continuar meu acompanhamento, também passei por humilhações que você nem imagina.

Tive que voltar no meu médico inicial e ele teve que fazer um encaminhamento por escrito, atestando que realmente ele havia me diagnosticado com TDAH e que eu estava em tratamento.

Mas antes de ter uma declaração médica eu tentei 3 psiquiatras e 2 neurologistas e fui extremamente mal tratado. Teve uma médica que me fez sentir como se eu fosse um drogado querendo apenas uma receita.

E mesmo depois de ter um documento em mãos, assinado por um profissional que além de ser médico, psiquiatra e ter feito suas monografias de mestrado e doutorado tendo o TDAH como tema, ainda assim teve um médico neurologista que leu a carta de encaminhamento e falou: “Ah, então você está querendo tomar Ritalina?”… E também me veio com essa história de que se eu tivesse realmente TDAH eu jamais teria curso superior… Além de outras bobagens… Ele nem fazia idéia do que é o hiperfoco que temos quando alguma coisa nos interessa.

As pessoas (até mesmo médicos), que não tem informação de quanto esta condição prejudica a vida de uma pessoa, acabam nos julgando como tendo um desvio moral, e isto é muito humilhante.

Acredito que o que confunda os médicos menos informados, é por que eles devem imaginar que uma pessoa com TDAH é também uma pessoa sem informação (burrinha), mas o que ocorre é justamente o oposto. Depois que conheci outros “TDAH’s” na internet, pude perceber que são pessoas com um conhecimento geral e uma cultura muito acima da média, que estão ligados em tudo e conversam sobre qualquer assunto de forma muito aberta. E que não é uma falta de inteligência no sentido de compreender as coisas, de adquirir algum tipo de conhecimento específico, mas de fato, a nossa dificuldade é a de colocar as coisas em prática… de organização, prioridades, enfim… de executar tarefas mesmo…

Mas não desista, peça ajuda para familiares e amigos, por que o tratamento é uma mudança imensa na qualidade de vida de quem realmente tem TDAH. Melhora tudo; desde o relacionamento com a família, o trabalho, os estudos, e no meu caso até mesmo o sono. Desapareceram até dores no corpo que eu tinha por causa da tensão de ficar pensando um milhão de coisas ao mesmo tempo sem conseguir colocar em prática quase nada.

Se você realmente tem TDAH, você vai entender isso: “Você não imagina o quão recompensador é, conseguir fazer durante o dia o que você planejou pela manhã!”. Parece simples né?

Mas também não coloque muita expectativa, achando que vai conseguir realizar tudo que sempre sonhou, por que continuamos tendo limitações, como todos os outros seres humanos. O importante é reconhecermos quais são elas, e darmos o nosso melhor sempre.

Eu aconselho você a lutar para conseguir um diagnóstico muito bem feito, com um profissional sério e que tenha também um mínimo de compaixão. Por que não é apenas em uma conversa de 45 minutos que o médico vai dizer se você tem TDAH ou não. É um pouco demorado, são feitos vários testes e entrevistas, às vezes o médico chama outros profissionais para ajudar. O meu médico chegou a mandar questionários específicos até para minha mãe e esposa responderem.

Também esteja preparado para outros diagnósticos, pois meu médico me falou que existem algumas outras condições que compartilham uma série de sintomas com o TDAH. Por isso insisto que procure um bom profissional! É um acompanhamento para o resto da vida…

Acredito que até mesmo aqui alguém poderá te indicar um médico sério.

Então, não desista! Procure, peça ajuda, corra atrás!

E qualquer coisa, comente aqui no fórum.

Boa sorte!