Autor Posts

18 de fevereiro de 2016 às 23:07

Boa noite queridos, hoje tive uma experiência constrangedora, resolvi ir na orientadora educacional do meu curso e pedir um encaminhamento com o especialista para enfim diagnosticar o DDA, é simplesmente ouvi “DDA na sua idade?! acho que não.” Você deve mudar sua maneira de estudar.

Expliquei que minha irmã tem diagnóstico de dislexia e mesmo assim não adiantou ela não teve nem o trabalho de tentar me dar o encaminhamento, conclusão sai de lá me sentindo “burra” desculpem da palavra, mas é assim que me sinto no momento, mas vou procurar sim um diagnóstico e irei levar o mesmo para que ele se atualize, pois DDA não é algo que acomete de um dia para o outra e que pelo contrário a passo a o teve a  vida toda, mas só foi diagnóstica quando adulta, estou extremamente chateada….?

  • Este tópico foi modificado 1 ano, 7 meses atrás por Foto de perfil de Paty Paty.
  • Este tópico foi modificado 1 ano, 7 meses atrás por Foto de perfil de Paty Paty.

10 de março de 2016 às 16:21

Ola Paty, não se sinta assim não, infelizmente o TDAH ainda não é verdadeiramente conhecido, e alguns profissionais não tem a menor idéia de como lidar com isso.

Com meu filho aconteceu um caso bem parecido, quando estava no jardim vi algumas dificuldades dele em terminar uma tarefa, pinta ou contar de 1 a 10m, então perguntava as professoas e elas diziam é natural cada um tem seu tempo, mais nunca me instruiram a procurar por um prrofissional.

Achava estranho e decidi por mim mesmo procurar um profissional que me ajudasse a orientar e auxiliar meu filho.

E ai depois de passar por psicólogos, psicopedagogas, neurologistas,fonodiologos, ele foi diagnosticado através de testes e exames , que tem TDAH.

E hoje já mudei os profissionais, mais agora acertamos, ele toma medicação, faz atividades físicas, e terapias, melhorou muito.

Então se algo te incomoda, se algo sente que esta errado, procure por outras opiniões, outros profissionais e não desista poque você consegue

11 de março de 2016 às 0:45

Obrigada Carol pelas palavras a cada dia isso piora, hoje no estágio tive um péssimo dia errando coisas bobas, conversei com uma amiga psicopedagoga amiga que me indicou a Unicamp até mesmo porq sou aluna do Colégio técnico de lá, segunda irei marcar consulta para então conseguir o encaminhamento e me pergunto, como conversar com os meus professores ainda estou sem chão creio a se DDA acomete tabm com crises, estou passando por uma.

11 de março de 2016 às 9:59

eu me identifiquei com o que você  disse do seu filho Carolina pois eu também quando criança  tinha dificuldade de contar até 1 a 10 até no fundamental 1 eu tinha esta dificuldade matemática  e outras matérias minha mãe falava que não tinha sequencia e hoje vejo crianças de de 2 anos sabendo fazer contas e ter uma sequencia que eu no fundamental 1 ainda tinha dificuldades .

Pois sempre aprendi de forma diferente da maioria das pessoas por isso sempre fiz aula particular para eu conseguir acompanhar a escola que na verdade eu aprendia mais coisas fora dela.

Por causa de ter nascido prematura e ter tido convulsão e ter outros problemas nos primeiros anos de vida eu sempre tive acompanhamento medico  e de uma equipe de profissionais acabei sendo diagnosticada cedo de tdah e outras dificuldades

E Paty sei como é difícil quando temos um problema ou dificuldade e pedimos ajuda e as pessoas por falta de informação,ignorância ou até falta de vontade fala coisas sem pensar que nos chateia e rotula a pessoa de forma errada.Pois já ouvi de alguns psicólogos, médicos , que eu não ia chegar até a fazer uma faculdade e hoje estou com muitas dificuldades mas estou fazendo faculdade.

Muitos profissionais e psicólogos quando leem o meu laudo se espantam como consegui chegar aonde até aqui pois o que te falo é não desista pessoa nenhuma tem a capacidade de rotular ou saber até onde uma pessoa pode ir .Se você tiver persistência e dedicação e apoio da família ou de amigos verdadeiros tudo se torna mais possível de se alcançar.

Se você tem uma dificuldade independente de ser tdah ou não ou de ser outro problema  é sempre bom certo e útil procurar ajuda pois independente de qual problema a pessoa tem tem ela é uma pessoa e deve ser respeitada.Mas sempre na vida vamos achar pessoas que falam coisas que nos magoam mas o que sempre me ajudou foi pensar :tem fundamento o que ela disse ?é útil?é verdade?se não for deixe de lado o que elas disserem pois o que importa no fim das contas é o que você acha de você.

Pois só os médicos são capacitados que entendem do assunto tem conhecimentos médicos que muitas vezes pessoas leigas como eu não tem então procure um neurologista que entenda de tdah e que seje bom coerente pois ele e uma equipe multiprofissional capacitada vão saber te ajudar melhor nesta situação .

Períodos muito difíceis existem mas o que aprendi se suas intenções forem boas e você foi dedicada que não importa quantas vezes você caiu ou errou mas sim quantas vezes você levantou e seguiu em frente e procurou fazer o melhor que você conseguir se os outros não te entenderem ou tiverem preconceito pobre deles por que eles tem muitas coisas para aprender na vida a este respeito pois a vida é uma escola que todos estão aprendendo e que uns sabem mais sobre algumas coisas outros sabem mais sobre outras então não procure focar seus pensamentos em coisas ruins pense em suas qualidades e como suas qualidades vão te ajudar a superar os desafios da vida.E que sempre vai aparecer na sua vida uma mão amiga que vai te ajudar em horas difíceis pois nunca estamos sós na vida

18 de março de 2016 às 19:24

Olá pessoal, boa noite!

Como portador de TDAH e Médico Psiquiatra acabo por ter uma visão mais ampla de toda essa questão. Eu sei todas as enormes dificuldades que enfrentamos diariamente, mas a sociedade não, mesmo em questões que temos direito! Aprendi com o tempo que não é fácil conseguir que te entendam e que seus direitos sejam levados em conta, mas fui percebendo que até podem crer em você, auxiliar em pequenas coisas, porém no geral não somos considerados “diferentes”, as instituições não costumam fazer algo para facilitar seus estudos ou trabalho por ter TDAH, mesmo com um atestado médico confirmando o diagnóstico… Enfim, ficou claro para mim que a maior ajuda deve vir de nós mesmos e de familiares ou amigos que sabem o quanto a gente sofre diariamente… Trato crianças com TDAH, e a escola sempre deve ser envolvida no tratamento, mas vejo que são raras aquelas que tentam fazer algo, geralmente só utilizam a informação para por no histórico do aluno e ali fica armazenado. Se continuam comportamentos inadequados, a criança recebe a mesma advertência ou punição de antes, como se não valesse nada a declaração médica do diagnóstico! Infelizmente ainda estamos enfrentando a mesma história passada; se divulga muito mais sobre o assunto mas na prática é por nossa conta…