Autor Posts

1 de fevereiro de 2016 às 15:21

Como pais, é impossível estar com os filhos em sala de aula, chamando a atenção para o que o professor diz. E ai só nos resta contar com o apoio dos docentes nessa hora, o que nem sempre é possível. As aulas de história são uma maravilha, mas quando chega na hora da bendita matemática e das regras de português, não tem cristo que faça ele se concentrar de primeira, e ai a explicação foi para o espaço e só nos resta o reforço em casa ou com uma professora particular. Ele é tão esperto, inteligente, não precisa de ninguém para explicar como funciona o celular ou o game novo…mas aquela equação, haja explicação!! Dá vontade de gritar..é só  sentar para estudar, que dá sono, fome, vontade de ir ao banheiro..nisso já foi meia hora só para abrir o livro..e os pais tem que contar com uma dose reforçada de paciência, para não perder a calma nessa hora.

Pedir para pegar alguma é uma tarefa das mais difíceis, eles esquecem no meio do caminho o que foi pedido..se distraem com algo e mudam de rumo..e você lá esperando!! Não sabem onde deixaram o controle da tv, esquecem de carregar o celular..e nunca lembram dos recados. E enquanto isso as notas sempre na balança..o fim do ano é um desespero, vale tudo, promessa, oferenda, qualquer coisa para eles passarem de ano!! Os professores dizem que ele é ótimo menino e quando perguntam se há duvidas eles não falam nada…perguntar o quê, se nem sabem do que o professor está falando..eles se perderam ainda na apresentação da matéria!!

Esse personagem é o meu filho, 12 anos, vai cursar o 8º ano ( 7ª série) e é aquele desespero a cada prova, em cada boletim..alguém mais tem um filhotinho assim hehe?

3 de fevereiro de 2016 às 21:49

Boa tarde Gabriela Hintz

 

Pois  eu tenho tdah  também, sou acompanhada desde que nasci por neurologistas e nos primeiros anos de vida tive convulsão e sempre tive acompanhamento com psicóloga,neurologista, psicopedagoga e professores que me davam aula particular e sempre foi de grande ajuda pois fora minha mãe ninguém da minha família entendia o que era tdah.

E muitas vezes entendo como era difícil na época da escola para eles me explicarem varias vezes as coisas para mim porque eu também ficava com sono,distraia com muita facilidade,não gostava de ficar horas sentada fazendo as tarefas e me sentia triste porque todo mundo que eu convivia ao meu redor acabava as tarefas em 1hora e eu demorava 3 horas ou a tarde toda.

Na escola eu era sempre uma das ultimas alunas a terminar os trabalhos escolares e muitas vezes não conseguia e tinha sempre que levar para casa um caderno emprestado de um colega para conseguir terminar de copiar a matéria que o professor passava na lousa e que não conseguia copiar antes dele ter apagado ela e passado mais coisas.

Tinha  que levar os exercícios que muitas vezes não conseguia terminar de fazer e levava pra casa pra terminar isto quando os professores não me davam nota baixa por não ter conseguido terminar em sala de aula,levava para casa também as atividades  que o professor passava para todos os alunos fazer em casa e fora os reforços que já fiz que tinha que ficar um tempo maior na escola,e mais os acompanhamentos médicos,psicológicos,psicopedagógicos,professores particulares esta foi minha rotina durante muito tempo durante muitos anos.

Muitos profissionais da saúde achavam que eu nunca iria conseguir fazer uma faculdade mas com minha persistência e com todo o amparo familiar que tenho e por todas as pessoas que me ajudaram e me ajudam na atualidade mesmo com todas as minhas dificuldades e frustrações porque ter um portador de tdah na família principalmente quando tem renda baixa é muito difícil pra família e pra quem tem tdah pois entendo tudo que você disse e acredito que pode ser difícil agora mas no futuro quando seu filho estiver formado em uma faculdade vai valer cada esforço que vocês tiveram pois acredito que com amor e amparo e conhecimento todo mundo consegue vencer as barreiras da vida e aprende a conviver com elas de forma melhor.

Eu também até hoje tenho dificuldades em português e matemática e o que sempre me ajudou a aprender melhor as coisas foi através de formas lúdicas muitas vezes com brincadeiras jogos que envolve a matéria que tem dificuldade.Pois assistir vídeos ,através de imagens em 2D e 3D me ajudaram muito a aprender as coisas.

Pois se seu filho vai bem em uma matéria você poderia através de algo que ele goste de fazer bolar uma forma dele aprender brincando ou de forma menos entediante as coisas que ele tem dificuldade converse com o neurologista dele e peça um laudo comprovando que tem tdah e tente conseguir acessibilidade na escola para as dificuldades dele ,da pra pedir se pode usar gravador somente com a finalidade de estudo para gravar as aulas,tire xerox de coisas importantes que podem auxilia-lo para que ele passe menos tempo copiando coisas sem necessidade útil e mais tempo aprendendo. Isto tudo me ajudou  muito não sei se ira ajudar vocês mas torço pra que de tudo certo .

E o site da NEUROSABER o neuro pediatra  Clay Brites já deu diversas aulas gratuitas online sobre tdah muito boas talvez possa te ajudar é só pesquisar no google que acha facilmente suas palestras sobre tdah

http://neurosaber.com.br/

 

 

4 de fevereiro de 2016 às 7:52

Olá Ana Maria,

Obrigada por seu depoimento!! Fico feliz em saber que você é um vitoriosa e que não desistiu de lutar e acreditar que você é capaz!!

Depois de passar por uma escola muito retrograda, onde cheguei a ouvir de uma professora ( que tirou meu filho de sala durante uma prova, porque ele se não parava quieto na carteira e estava “atrapalhando” os outros alunos) que ele era assim porque eu trabalhava fora..hoje encontrei mais apoio em outra instituição, não é o ideal, mas bem melhor, porque meu filho adorou essa escola, e apesar das dificuldades iniciais, no fim do ano houve uma mudança de professores e só com isso, ele já conseguiu melhorar seus resultados finais e passou sem precisar levar dependência para o outro ano, como havia acontecido antes.

Só para exemplificar como o professor pode ser responsável no sucesso ou não do aluno, vou contar outra situação com meu filho. Na escola anterior, ele teve muitas dificuldades em português, a tal professora era inflexível ( poderia ficar horas falando mal dela..mas não é o caso) e a infeliz também lecionava na escola nova dele, mas com a disciplina de inglês ( que ele nunca teve dificuldades , faz Fisk há 3 anos, a média dele sempre foi 9,5 ou 10). O que aconteceu..as notas de inglês despencaram, e ele teve que fazer recuperação no fim do ano..ai neste período, essa professora foi dispensada da escola e chegou outro professor e sabe qual foi a nota do meu filho na recuperação? 8,0!! Alguma duvida de que o problema era essa profissional!!

É nosso papel estar atento ao comportamento de nossos filhos e oferecer apoio e ajuda, mas é também responsabilidade da escola zelar por seus alunos e oferecer condições para que eles possam evoluir, crescer e serem respeitados.

Muito sucesso em sua vida..Ana Maria e que seus sonhos sejam sempre um motivo para você continuar lutando.

Beijos!!

 

4 de fevereiro de 2016 às 17:08

Muito obrigada Gabriela Hintz achei curioso que seu filho tem facilidade em inglês e eu também tenho facilidade em inglês  pois acho legal tamanha semelhança e desejo tudo de bom pra você e seu filho.

Pois os professores realmente influencia na vida dos alunos já tive professores que me falou na faculdade que pelas dificuldades elas aconselhavam a mudar  para um curso mais fácil de fazer e aquilo e outras situações muito desagradáveis que aconteceu na faculdade acabou com meu emocional até hoje estou tentando me recuperar mas é difícil muitas vezes uma palavra doí mais que um tapa.

E quem tem tdah  no curso que faço pode sofrer mais do que quem não tem porem não tem nada que incapacite  uma pessoa com tdah  a faze-lo a única diferença que no meu caso eu demoro mais para aprender e aprendo com métodos diferentes das outras pessoas que não tem pois devido ser mais lenta e ter outras dificuldades então a falta de informação e maldade das pessoas é um grande mal da humanidade.

Pois tenho vizinho que mora do meu lado  que tem uma mãe acamada com mau de Alzheimer e o filho dela que mora lá é insuportável ele liga um barulho muito alto e irritante de alarme e um outro que parece barulho de turbina de avião 24 horas por dia e isto é uma tortura para todo mundo que mora na casa dele e os vizinhos do entorno só porque ele não gosta de cachorro que  eu tenho então ele faz isto de propósito pra torturar eu e minha família e todas as pessoas e seres que ele não gosta .

Isto pra mim é uma tortura muito grande pela instabilidade que tenho na atenção e em casa ser impossível ter um lugar silencioso para fazer os trabalhos  e não existir mais a palavra paz dentro de casa por causa dele e pelas pessoas que não tem tdah não serem capazes de entender como barulho me tortura muito e incomoda e por saber que existem pessoas com alto nível de maldade destes que não respeita nem a própria mãe.Nós já chamamos a policia varias vezes mas eles falam que não podem resolver o problema então é complicado saber que em nosso pais existem a educação,segurança,qualidade de vida é tam deficitária de quase tudo.

Então o que aprendi é que infelizmente não conseguimos melhorar o mundo e as pessoas e temos que aprender a conviver com ela e entender que existem pessoas que tem a mente pequena de mais para entender o que é se preocupar com o bem estar do próximo neste mundo e isto acontece na escola,lar,trabalho e etc então o melhor que pode ser feito é ajudar o próximo quando eles permitem receber a ajuda certa porque se não nada terá grande eficácia  .

Por isso que acho que o Brasil está longe de ter uma educação inclusiva  útil porque acredito que o grande mau é a ignorância por isto que estudar é importante pra todos porque o conhecimento é uma coisa que ninguém tira do outro e pode abrir muitas portas na vida então desejo tudo de bom pra sua família e muitas felicidades  e que ter raiva de quem nos magoa não nos leva a nada mas aprender a perdoar isto pode ajudar a vida ser melhor

E sou grata por todo amor que minha família sempre me deu e acho que ter uma família ou amigos tudo se torna mais fácil na vida e que seu filho tem muita sorte de ter uma mãe companheira como você .

 

 

5 de fevereiro de 2016 às 9:59

Ana Maria,

Continue persistente..porque a vida é assim mesmo, vamos topar com pessoas queridas e amigas e também com gente que não se importa com o próximo, por isso, temos que aprender a conviver e fazer a diferença na vida daqueles que estão ao nosso redor!! O que nós faz um pessoa melhor , é o que podemos fazer de melhor!! Sucesso na sua jornada!!

Beijos!!

Estamos na mesma luta!!

8 de março de 2016 às 17:27

Olá Gabriela,

Li teu comentário e não pode menos que pensar:”Ué!!…de onde ela conhece meu filho…??”

Tal qual,o meu tem 11 anos,completados em janeiro e é desse jeitinho mesmo.

Auxilia ele que tem uma perda auditiva moderada e por isso tem direito a interprete em sala de aula,então resolve também para o deficit de atenção.

Mas é desse jeito mesmo que tu colocou.aula de matemáticas e coisas mais abstratas é um sufoco e na hora de fazer tarefa fica complicado.

Tomara as escolas considerassem mais as necessidades de nossos filhos.hoje mesmo teve reunião com o professor regente da turma dele,foi muito amável e receptivo,mas tem mais 8 pessoas tomando conta da turma…será que todos vão concordar com as solicitações de utilizar médios alternativos como o visual a traves de tablet ou celular para explicar e lograr um melhor entendimento…confiemos,né?

receba meu abraço!!!estamos juntas!!

 

8 de março de 2016 às 19:41

Olá Sílvia!

Bom ouvir outras mães que dividem esse mesmo problema, angústia de só querer que seu filho aprenda, seja respeitado na sua individualidade e particularidades! Este ano na primeira reunião da escola na última semana (04-03) os professores disseram que ele mudou de comportamento, está mais extrovertido, perguntando mais, até mais exibido rs. Ano passado vivia escondido no capuz do casaco e nunca perguntava nada. Ele já vai fazer 13 anos em abril, está crescendo, acho que mais confiante..no fim do ano com algumas mudanças de professores na escola, ele teve um desempenho melhore isso foi fundamental para ele passar de ano. Estou feliz por isso, e espero poder dividir com vocês essas conquistas..e assim como meu filho desejo que cada criança TDAH também cresça amada e feliz..confiante de que é capaz de fazer tudo que sonhar..nosso papel é estar ao lado deles e lutar para que eles sejam respeitados em todos os ambientes!! Estamos juntas querida..um grande beijo!!

9 de março de 2016 às 22:16

Olá Gabriela,

Estamos vivendo coisas parecidas por estos dias de começo de ano…que bom dia le está desse jeito! O Meu filho também está semana me surpreendeu, interagindo mais com os colegas e procurando por si mesmo,espaços de brincadeiras coletivas.

Assisti no YouTube a uma palestra de José Ramon Gamo, um mestre em TDAH,ele mesmo diagnosticado desdecriança, então deve saber bem do que fala,né? Ele falou uma coisa bem interessante q eu não sabia,q o cérebro da criança com TDAH tem uma maturidade de um 30%enos a idade cronológica. Isto faz sentido,já q pela idade estariam agora começando a despertar p o convívio social,compartilhamento de idéias e opiniões. Se entender um pouco de espanhol e tens interesse em assistir,vale muito a pena. Achas em YouTube pelo link: Conferencia José Ramon Gamo – YouTube. É o primeiro vídeo q aparece dele,de 1:35 min. Mas vale p entender muitas coisas,da boca de alguém q viveu na pele mesmo…tomara consigas… Grande beijo p.vcs!!!

Até breve!!

9 de setembro de 2016 às 17:58

Olá Sílvia.

Isso da maturidade é bem verdade. Meu filho tem quase 11 anos, quase 12, faz o sexto ano, mas eu diria que tem a maturidade de uma criança de sete/oito anos. Digo isso porque tenho uma filha de sete anos e eles gostam das mesmas coisas, jogam os mesmos jogos, assistem os mesmos desenhos… Enquanto os colegas de classe já estão com um jeito de adolescente, as meninas já andam maquiadas e usam sutiã, ele ainda é muito infantil.

28 de setembro de 2016 às 9:39

Olá, meninas, bom dia!

Sou mamãe de um lindo menino de 8 anos e diagnosticado há pouco com TDAH. Antes, para mim, ele era só uma criança esperta e feliz, mas esse ano despencou na escola pois passou para uma série menos lúdica e mais “conteudista”. Que desespero dessa palavra!

Muito bom ler aqui as dificuldades de todas, principalmente porque são as mesmas minhas. Vivendo e aprendendo a lidar com meu filhotinho de modo a ajudá-lo a passar pelas dificuldades e incompreensões desse mundo onde todos devem ser padrão e qualquer desvio é inaceitável.

Sou de Brasília e se tiver alguém aí que more por aqui também vamos marcar um café, né?!

Bjos

Edileide

28 de setembro de 2016 às 10:30

Olá Edileide!!

Tenho certeza que seu filhote é um menino feliz e muito inteligente e nunca deixe que digam o contrário dele, talvez ele encontre professores despreparados para trabalhar com essa questão, mas não desanime, informe, converse com eles e se por algum motivo você achar que a escola não está ajudando, troque de escola. Com meu filho foi assim, encontrei ótimos professores na educação infantil  e ensino fundamental, mas quando ele chegou no 6º ano tive que mudar de escola e ai foi um suplicio, mesmo com o laudo de deficit de atenção, esbarrei em professores despreparados, meu filho sofreu com notas baixas, perseguição e a auto-estima dele foi no chão, cheguei a ouvir de uma professora que ele estava assim porque eu trabalha fora! Ele passou de ano com duas dependências, mas mudei de escola e para nossa alegria, encontrei um ambiente completamente diferente em que ele se sentiu acolhido, sua notas subiram, ele adora o colégio, foi a melhor coisa que pude fazer por ele. Claro que tem que pegar no pé, ele não é aluno nota 10, nem quero que seja, mas saiu de notas abaixo de 04 em matemática para,7,0, 8,0, então o ambiente escolar é fundamental para o desempenho dos alunos, principalmente com TDAH. Hoje ele está com 13 anos, no 8º ano , se forma no curso de inglês em 2 anos e meio e é fera nos games!! Então acredite sempre na capacidade do seu filho! Bjs

28 de setembro de 2016 às 16:49

Gabi, é bem verdade. Eu já ouvi que ele é assim porque eu me separei e trabalho fora. Caramba, cada coisa que a gente escuta, né?! Enfim, eu adoro o jeitinho dele e procuro lutar para que ele se saia bem na escola e nas relações em geral. Bem difícil, o despreparo é uma barreira mas a falta de interesse em procurar informação é o que eu acho mais deprimente. Quem tem TDAH é diferente mas não é burro, pelo contrário! Ainda bem que, de tanto exercitarmos a paciência com eles, os nossos filhos, acabamos que temos paciência para, também, explicar isso aos coordenadores, professores, vizinhos, familiares… rsrs

Muito bom fazer parte desse grupo, viu?!

Eu acredito em meu filhotinho e que, uma hora dessas, o mundo vai aceitar isso e tudo será mais fácil. Acredito em mim também, para lutar por ele.

bjooo